Brasil vai sediar evento internacional sobre homens e masculinidades

cihm2016

 

Muita gente vai achar que estou provocando. Mas justamente na semana que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, vou falar sobre um evento que tem como tema principal os homens. Ou melhor, as masculinidades.

O VI Colóquio Internacional Homens e Masculinidades será realizado nos dias 4 e 5 do próximo mês, em Recife (PE) e vai ampliar o debate e as trocas de experiências neste campo, que vem sendo cada vez mais objeto de pesquisas e produção de iniciativas. O tema do colóquio será “Masculinidades frente às dinâmicas de poder/resistência contemporâneas: pressupostos éticos, ideológicos e políticos das diversas vozes, práticas e intervenções no trabalho com homens e masculinidades”.

O evento, que já circulou por países como México, Chile, Colômbia e Uruguai, está em sua sexta edição e pela primeira vez será realizado por aqui, graças ao trabalho de uma série de entidades e movimentos que eu adoro e recomendo como o Promundo, GEMA da Universidade Federal de Pernambuco, do Men Engage Brasil, do Instituto Papai, entre outros.

De acordo com Mariana Azevedo, coordenadora Geral do Instituto Papai e uma das organizadoras, o principal objetivo é promover o intercâmbio entre dois setores: o do ativismo e dos grupos acadêmicos. Para quem não, a questão da masculinidade está amplamente atrelada a temas como equidade de gênero, saúde do homem, combate à violência contra a mulher, entre outros.

“Esperamos entre 500 participantes com um publico eclético e uma agenda extensa pós e pré colóquio”, disse Mariana ao Diário do Papai. “Pretendemos ampliar as discussões sobre homens e masculinidades, a partir do enfoque de gênero ou feminista, possibilitando a construção de conhecimentos e a proposição e revisão de políticas públicas mais equitativas”.

A programação, que está disponível no site do evento, conta com debates, rodas culturais e apresentação de diversos trabalhos científicos. O tema paternidade é um dos envolvidos nos debates.

Mas o Masculinidades trará muito mais do que isso. Entre os objetivos específicos estão:

Produção de conhecimento: atualizar o estado da arte sobre pesquisas, ativismo, trabalho comunitário e formulação/desenvolvimento de programas e políticas sobre homens, masculinidades y equidade de gênero e estimular a publicação de pesquisas e outras ações políticas em gênero e masculinidades;

Reflexão crítica:debater sobre ferramentas teóricas, políticas, éticas e metodológicas, atuais e emergentes, no campo de estudos e ações políticas sobre/com homens e masculinidades, especialmente no que tange formulação, revisão e implementação de políticas públicas.

Ação coletiva: dialogar sobre aproximações e tensões entre a produção de conhecimento e o ativismo político, no campo de estudos de gênero, feminismo, movimento de mulheres, por igualdade racial, LGBTI e grupos/organizações de homens, fomentando a interlocução entre pesquisadores e outros profissionais e potencializando a melhoria continuada da prática profissional e maior inserção da pesquisa nos problemas que desafiam a atuação profissional e a gestão pública no campo.

Prática: promover a visibilidade e o intercâmbio entre pessoas e grupos que têm, desenvolvido práticas e programas com homens e/ou mulheres (cis ou trans), compartilhando lições aprendidas, desafios e estratégias.
Formação: discutir, analisar e propor formas e mecanismos que contribuam para a formação de profissionais, em nível de graduação e pós-graduação, a partir de uma perspectiva crítica, plural e contemporânea.

You may also like...