Como contar ao seu filho sobre a adoção?

Como contar ao seu filho sobre a adoção?

 

Sempre me perguntam como contar ao filho sobre a adoção. Aí lembro que desde que Luísa era pequeninda passamos a usar uma historinha… Quem está na fila ou busca uma adoção de crianças pode usar à vontade.

Era uma vez um reino muito, muito, muito distante, que ficava em um lugar mais alto dos que todos os aviões conseguem voar.

Ali, milhares e milhares de cegonhas viviam cuidando de pequenos bebês. Um grande exército de anjos da guarda fazia a proteção desses bebês e também das cegonhas que ali viviam.

O lugar era repleto de paz. Os pequenos bebêzinhos se desenvolvem neste reino por cerca de nove meses, recebendo por parte destes seres especiais, proteção, carinho e muito amor. Quando estão prontos, uma cegonha é destacada para levá-los até sua mamãe e seu papai. Todo o caminho é percorrido com atenção e com a proteção do exército dos anjinhos. Aqui na Terra, são outros anjos, que também usam branco, os encarregados de recebê-los e de providenciar os primeiros cuidados.

Um belo dia, uma das cegonhas recebeu a missão de levar uma pequenina criança para ser entregue. No caminho, entretanto, o dia que era belo se transformou com a chegada de nuvens cinzas carregadas. O voo foi turbulento, a cegonha quase caiu por uma, duas, três vezes. Ela conseguiu se recuperar, estabilizou seu voo mas percebeu que a forte tempestade estava vencendo e iria derrubá-la a qualquer instante. Ela não poderia avançar e sentiu que poderia cair com o precioso pacotinho. Foi quando pediu ajuda ao primeiro anjo:

_ O que eu faço, meu caro anjo. Não posso voltar sem entregar esse bebê.

_ A senhora cegonha não vai conseguir atravessar essa tempestade. Terá que deixar o bebêzinho no “lugar onde todos os tesouros são guardados”. Nosso exército vai proteger a criança e fazer com que os papais percorram o caminho até ela.

E isso foi feito.

A cegonha deixou o bebê no “lugar onde todos os tesouros são guardados” e retornou para seu reino, onde espera uma nova missão. Muitas vezes, apesar do carinho e da atenção de todas essas criaturas especiais, o caminho dos bebês não é percorrido de uma forma tranquila.

O Grande Anjo Protetor, que tem a maior patente do exército mas não tem nome, não tem sexo e não tem rosto, chamou outros anjos para ajudar na proteção daquele pacotinho. Alguns se encarregaram de cuidar do bebezinho, dando amor e boas vibrações. Mas a criança ainda precisava de muito mais: precisava de calor, precisava de paz, precisava de carinho.

Precisava de mais amor.

Foram acionados os anjos na Terra para que pudessem fazer com que papai e mamãe encontrassem o caminho do “lugar onde todos os tesouros são guardados”. Um anjo ficou incumbido de pesquisar em uma enorme lista montada em um computador, qual seria o nome dos papais daquele pacotinho. A procura levou alguns dias pois outros anjos precisavam dar a aprovação, o carimbo e a assinatura. Enquanto isso, o bebê continuava sendo cuidado pelos soldados do exército dos anjos.

Papai e mamãe foram chamados para uma conversa com um segundo anjo. Esse segundo anjo falou que o pacotinho existia e já estava pronto, que enfrentou uma grandiosa e perigosa tempestade, mas que estava a salvo. Ele explicou ainda que os os papais teriam que correr ao “lugar onde todos os tesouros são guardados” para salvar o bebezinho e levá-lo para casa.

E ainda falou que o caminho a ser percorrido seria longo, cheio de aventuras e por mais que os papais pensassem em desistir, o bebê estaria esperando e sendo protegido.

Mamãe e papai decidiram percorrer o caminho. Foi difícil. Houve grande tormenta, raios e trovões e muitas e muitas vezes eles pensaram que não conseguiriam chegar ao fim. Foi um longo caminho com algumas boas surpresas, algumas grandes tristezas e momentos de medo.

Um dia, eles caminhavam por uma grande tempestade quando de repente o sol apareceu por uma pequena brecha entre as nuvens. O escuro deu lugar a um grande clarão. O céu cinza acabou sendo vencido pela luz e em seguida muitas cores apareceram.

O arco-íris, o “lugar onde todos os tesouros são guardados”, estava ali. E o terceiro anjo esperava pela mamãe e pelo papai. O potinho de ouro estava diante de seus olhos, afinal.

_ Vocês chegaram. Agora vão lá conhecer sua filha.

E foi assim que papai e mamãe chegaram até a Luísa.

O pacotinho cresceu, está deixando de ser um bebêzinho e se transformando em uma mini pessoa repleta de curiosidade, desejos, convicções (e que convicções!!!) e claro, muita sabedoria.

Digo sabedoria pois, diante toda essa aventura, a lição vinda de quem ainda tão pequenina ficou por dias no “lugar onde todos os tesouros são guardados” é a de que não existe tempestade ou tormenta que vença o amor.

E que basta um única brecha entre as nuvens cinzas e carregadas para que um arco íris repleto de cores apareça.

 

Rainbow01 (2)

Crédito Imagens: Freepik

You may also like...