Confira dicas para prevenir dermatite de fralda em bebês

Com informações da Bepantol Baby

O bebê está com a região da virilha e do bumbum vermelha, com algumas bolinhas e inchada? Esses podem ser os primeiros sinais de assadura – também conhecida como dermatite de fralda –, a doença de pele mais comum nos primeiros dois anos de vida.

A inflamação é causada pelo contato prolongado da pele com as substâncias presentes nas fezes e na urina, que ficam na fralda e que podem agredir a pele delicada do bebê, em muitos casos afetada porque a fralda cria um ambiente propício a esse tipo de irritação. Se não houver o tratamento adequado, a assadura pode piorar, gerando um desconforto mais prolongado para o bebê. 

Os bebês gordinhos – o que não é o caso da Luísa – tendem a sofrer mais com o problema, pois as lindas dobrinhas colaboram com o atrito e a persistência de substâncias que podem agredir a pele, favorecendo, por exemplo, o surgimento de infecções secundárias e mais graves.

Para reduzir as chances de o bebê ficar assado, a linha de antiassaduras Bepantol® Baby, composta pelo creme preventivo tradicional e o recém-lançado Bepantol® Baby Extra Proteção – para a pele delicada de bebês de até 1 ano –, sugere alguns cuidados essenciais para manter a pele dos pequenos protegida contra a dermatite de fraldas.

Confira as dicas:

Fazer a higiene íntima e remover delicadamente resquícios de urina, fezes e pomadas.Nos primeiros meses usamos apenas algodão e água para limpar Luísa.

Manter a região sempre limpa e seca.

Trocar a fralda do bebê com frequência, sempre que precisar, geralmente logo após as mamadas ou quando parecer suja.

Para fazer a higiene, utilizar água morna e algodão. Lenços umedecidos podem ser usados eventualmente, pois alguns bebês podem apresentar reação alérgica aos componentes desses produtos.

Passar uma camada fina de creme antiassadura após cada troca ajuda a prevenir e proteger o bumbum do bebê contra possíveis irritações na pele.

Também é importante redobrar os cuidados com a troca de fralda em situações em que o hábito intestinal da criança ou a frequência do xixi aumentem. Aqui em casa, por exemplo, a Luísa vem usando muito mais fraldas agora do que nos primeiros anos de vida. Ela toma mais água, mais sucos e por isso a troca tem que ser constante. E uso de pomadas, idem.

You may also like...