Luísa e sua primeira maromba

Será que teremos uma ginasta na família?

Será que teremos uma ginasta na família?

 

Após uma semana sofrendo com febre, tosse e um resfriado para lá de chato, Luísa enfim melhorou. Só que aí apareceu a chuva e tivemos que continuar de molho em casa. Nada de parquinhos, corridas ou brincadeiras ao ar livre.

Essa semana, finalmente saímos de casa para conhecer uma academia de ginástica para crianças. A My Gym, uma franquia norte americana, abriu uma unidade em Florianópolis e fomos conferir do que se tratava.

Luísa chegou e assim que tirou o tênis, tratou de correr em meio aos brinquedos. Estava temeroso por ela participar de uma aula programada. A “obediência” não tem sido seu ponto mais forte ultimamente (vou tratar disso no próximo post) e o fato de ter que ficar atenta aos professores com tantos brinquedos à disposição parecia que não daria certo.

O alongamento no início foi um pouco mais difícil, mas a pequena tirou de letra as demais atividades. Ela queria correr e saltar e não ficar ali sentada no tatame. Depois, brincou em uma mini tirolesa, se divertiu com bambolês, interagiu com outras crianças na hora dos fantoches e bonecos de pelúcia e o que achei mais legal, atendia aos instrutores cada vez que eles a chamavam para uma atividade.

Foi tão bom ver a pequena gritar de alegria e sair correndo pelo tapete da academia. A escola é interessante, atende crianças de até dez anos em programa específicos para cada faixa etária.

 

Definitivamente, a Luísa ama subir e descer escadas. Tirar ela dali foi o mais difícil…

 

Os pequenos participam de uma série de atividades de ginástica, música, dança, brincadeiras com fantoches e até acrobacias e esportes. Papais e mamães também participam da aula. O diretor da escola, Augusto Silveira, explicou que Florianópolis foi escolhida como melhor cidade do Brasil para criar filhos e que os planos desenvolvidos pela My Gym auxiliam no desenvolvimento de atividades psicomotoras, intelectuais e sociais.

“A autoestima desenvolvida na infância é carregada ao longo da vida”, disse.

O que achei interessante é que as aulas e a disposição dos brinquedos e equipamentos muda semanalmente. Todo o programa é realizado por médicos fisiologistas e psicólogos. Bebês a partir de seis semanas já podem participar. Quando começam a engatinhar ou andar, as brincadeiras passam a estimular o equilíbrio, a coordenação e a agilidade. Mais tarde são acrescentadas atividades de condicionamento físico, introdução ao esporte e preparação para esportes em grupo.

Luísa correu, brincou com outras crianças, subiu e desceu escadas e gritava a cada vez que descia pelo escorregador. Ao final, os instrutores ainda trabalham o que chamam de “separação” para que não exista choro quando a aula termina. E não houve: a pequena saiu dali, tomou um copão de água e pediu “papá”.

Exausta, se desmantelou ainda no carro logo após o almoço. A sonequinha da tarde teve a duração de pouco mais de quatro horas e o que é mais importante: não atrapalhou em nada o sono da madrugada. O papai aqui ainda teve tempo de lavar louça, trabalhar e até de cuidar de uma videira que temos no quintal.

A primeira experiência fitness da Luísa foi aprovada.

 

Luísa malhando na My Gym

 

 

 

 

You may also like...