Por que a febre aumenta ao anoitecer?

picsay-1442627700 (1)

 

É um dia como outro qualquer. A tua filha brinca a tarde inteira, corre e grita com outras crianças na rua, assiste desenho na televisão e morre de rir no parquinho. Mas assim que anoitece, o nariz começa a escorrer tanto que mais parece uma cachoeira. Os olhos ficam cheios de água, o bebê fica mais manhosinho e de repente, lá está ela, a tal da febre. Mas afinal, por que a febre aumenta ao anoitecer?

Essa semana toda está assim. Luísa doentinha, se recusando a comer e com aquele resfriado chato. Na hora de deitar, o nariz entupido não a deixa respirar e ela fica ainda mais irritada.

Gisele trabalhou quase todo o final de semana e no domingo, quando chegou, nada de descanso. Precisamos passar a tarde no plantão de uma clínica pediátrica. Quem nunca passou por isso?

A gente vê o bebê sofrer, gemer ao deitar e não conseguir dizer direito o que tem. É de morrer de dó. Tem pai e mãe que chega a querer trocar de lugar com os filhos nessas horas. Eu não tive nem tempo de pensar e desejar isso, pois fiquei doente junto com a Luísa.

Medicada, ela até que apresentou melhoras. Passou um dia inteiro bem, descansou bastante e parecia mais alegrinha. Até que anoiteceu. A pequena tirou uma das meias enquanto brincava e, quando fui recolocar, percebi que o pé dela muito quente. Febre de 39,5 graus.

Como eu também estava ruim, lá fomos todos nós para mais uma noite na clínica médica. E a mamãe Gisele nada de descansar do trabalho dos últimos dias. Voltamos já no início da madrugada e cá estamos, eu e Luísa, de molho em casa.

Aí fiquei com uma questão encasquetada na minha cabeça: por que a febre sempre aumenta ou aparece com maior intensidade ao anoitecer?  Existe algum motivo para isso ou é apenas uma coincidência?

No seu primeiro  inverno, Luísa teve três episódios de febre alta. Um em junho, quando chegou aos 40,5 graus por causa de uma otite. Outra, foi o nascimento de um dente molar que fez com que sua temperatura também ultrapassasse a casa dos 40. E essa semana, quando estava bem e de repente ferveu até os 39,5.

Agora, com quase quatros anos, mais um episódio. Me ligaram da creche no início da semana avisando de uma febre alta. Era terça-feira. A febre apareceu mas logo cedeu. Foi só o sol se pôr e percebi que ela começou a ficar mais quentinha. Não deu outra: 39 graus.

Afinal, por que a febre aumentar ao anoitecer?

Olhando rapidamente o ”doutor Google” vi uma série de relatos de mães sobre febres dos filhos. É quase unânime que a dita cuja sempre ataca com mais força durante à noite. A explicação seria a de que a temperatura corporal naturalmente sobe ao final do dia, como forma do nosso organismo de adaptar ao arrefecimento noturno.

Não satisfeito, consultei a pediatra Flávia Nassif, conceituada profissional que atua em São Paulo e mantém a página Chat Pediatria no Facebook. Segundo ela, não há uma explicação ou regra específica para o caso. “A maneira como a febre se manifesta vai depender do agente infeccioso e da própria criança”, disse. “Cada organismo reage de uma maneira. Talvez isso aconteça com a sua filha. Algumas viroses podem, mesmo, fazer com que a febre se manifeste à noite, mas não é uma regra. A tuberculose, por exemplo, é uma doença em que a febre noturna é característica”.

Encontrei um texto super interessante chamado Fever in Children – A Blessing in Disguise e publicado originalmente na Mothering. Traduzindo ao pé da letra as autoras Sunny Mavor e Linda White afirmam que febre seria como uma “benção”. Isso mesmo. Segundo o artigo, a febre indica que o organismo da criança está reagindo bem a uma doença ou infecção. Mais ainda: seria uma demonstração de que o sistema imunológico está em pleno funcionamento.

“A febre é caluniada e incompreendida”, chegam a afirmar as autoras. “Para crianças menores de oito anos de idade e especialmente para os bebês, a gravidade da febre é um indicador confiável da gravidade da doença da criança”.

A sugestão dada a nós papais, no artigo, é observar o comportamento da criança. Bebês podem estar doentes mesmo com temperatura normal. Crianças maiores podem brincar mesmo com uma febre muito  alta. “O importante é como seu filho está agindo e não a leitura do termômetro”, arremata.

Quando devo procurar o médico

febre aumenta ao anoitecerMas a dica é sempre a mesma: em caso de febre superior aos 39 graus em crianças de até 3 anos, procurar assistência médica. Nos maiores, a atenção deve ser redobrada caso o termômetro passe dos 40,1 graus.

Finalmente, sobre a febre ao anoitecer, a explicação é de que nosso corpo tem a temperatura elevada em até dois graus ao fim do dia. Se praticamos exercícios ou ingerimos alimentos quentes, isso contribui ainda mais para a elevação.

Então, somando todas as informações cheguei à conclusão de que é normal que a febre aumente no período noturno. Mesmo assim vou continuar correndo para o pronto socorro nas madrugadas pois não consigo ainda trata-la como uma benção, como pedem as tais doutoras americanas.

Benção para mim é ver a Luísa correndo no jardim, dançando e sorrindo quando vê a Galinha Pintadinha e o Patati Patatá e gritando de alegria quando escuta a pipoca estourando na panela.

 

You may also like...

Comentários

  1. […] muitas coisas que me chamam a atenção com relação a gripes, resfriados e etc. Uma delas é que a febre sempre aumenta ao anoitecer. Por que será? Uma vez fiz uma matéria aqui mesmo, no Diário do Papai, sobre esse […]