Quais as diferenças entre gripe e resfriado?

Diferença entre gripe e resfriado

Embora aqui em Florianópolis no tenha feito muito frio nos últimos dias, o inverno traz preocupações para todos os pais. É a estação do nariz escorrendo, do funga-funga, enfim, é a época que bebês e crianças mais sofrem com as doenças respiratórias. Eu sempre quis saber quais as diferenças entre gripe e resfriado.

Isso acontece porque o sistema imunológico dos pequenos ainda está em desenvolvimento, o que aumenta o risco de adquirir infecções. E o que fazer quando eles ficam gripados?  Cristiane Finelli, médica da unidade de Consumer Health da Hypermarcas, responsável pelo medicamento Benegrip, esclarece algumas dúvidas sobre o tema e repasso a todos:

Qual a diferença da gripe para o resfriado e quando os pais devem se preocupar?
A gripe é causada pelo Vírus Influenza, enquanto o resfriado pode ser causado por vários tipos de vírus como Rinovírus, Adenovírus, Vírus Sincicial, Coronavírus, entre outros.
Os sintomas são muito semelhantes e a principal diferença é que a gripe caracteriza-se por início súbito do quadro de febre, dores no corpo, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, coriza, fraqueza e pode durar em média uma semana. No resfriado, os sintomas começam aos poucos e duram menos tempo. Os mais comuns são coriza, espirros, tosse, pode ter febre e dores pelo corpo, porém as dores são mais leves e a febre mais baixa. É muito importante saber diferenciar e entender se o quadro de infecção respiratória trata-se de uma gripe ou resfriado, pois as gripes costumam ser mais graves, com maior risco de complicações principalmente nos  idosos, gestantes, pessoas com doenças crônicas e crianças com menos de 5 anos que compõem o grupo de risco.

Confira abaixo os sintomas de instabilidade clínica que são mais graves e geralmente necessitam da avaliação de um médico:

– Temperatura axilar menor que 35°C ou maior que 38°C;
– Pulso Irregular ou taquicardia (batimentos acima de 100 bpm);
– Pressão arterial baixa;
– Dificuldade ao respirar
– Palidez da pele e lábio;
– Cianose (pele azulada);
– Dor no peito ou ausculta pulmonar alterada;
– Redução do nível de consciência ou confusão mental;
– Presença de vômitos persistentes (2 a 3vezes/dia)

O que fazer para evitar gripes e resfriados?
A melhor forma de se proteger da gripe e do resfriado é por meio da vacina.
Medidas como lavar as mãos com frequência, evitar aglomerações, ambientes fechados e contato com pessoas ou superfícies contaminadas, também são essenciais para evitar as doenças. Sabe-se que o vírus Influenza, por exemplo, pode viver até 48h em objetos, por isso, a higienização das mãos frequentemente é fundamental para ajudar a prevenção.

Quais medidas podem auxiliar o organismo a combater os vírus causadores de problemas respiratórios?
Além da vacinação, o ideal é manter hábitos saudáveis como boa alimentação, atividade física e horas adequadas de sono. Lavar o nariz com soro fisiológico ajuda a expelir o catarro assim como a inalação também pode ser realizada. Essas são algumas medidas que auxiliam o corpo a combater às infecções.

Por que crianças sofrem mais com o problema?
Crianças acabam sofrendo mais com os sintomas pela dificuldade de lidar com eles. Ficam abatidas com os quadros febris, têm dificuldade para expelir o acúmulo de secreções e ficam mais inapetentes. Aquelas de pouca idade constituem grupo de risco para complicações da doença e são importantes fontes de transmissão do vírus influenza, pois eliminam maior quantidade de vírus quando infectadas,  por um período mais longo de tempo.

Existem muitas coisas que me chamam a atenção com relação a gripes, resfriados e etc. Uma delas é que a febre sempre aumenta ao anoitecer. Por que será? Uma vez fiz uma matéria aqui mesmo, no Diário do Papai, sobre esse tema.

You may also like...