Tagged: redes sociais

Comments

O que você precisa saber para sobreviver à primeira adolescência: os terríveis dois anos

Sabe o que é a primeira adolescência? Aqui você encontra o que você precisa saber para sobreviver aos terríveis dois anos. Aquele doce de criança da foto acima parece ter ficado no passado. Sua filha agora passa a fazer birra por qualquer coisinha, esperneia, grita e muda de humor repentinamente. Não é o fim do mundo, é o chamado “terrible two”, os “terríveis dois anos”. Mas há uma chance para nós papais sobrevivermos a essa fase?

adotar criança Comments

Estamos realmente prontos para adotar uma criança?

Costumo sempre afirmar que a adoção, antes mesmo de ser um encontro de almas,é uma via de mão de dupla. Por um lado, crianças e adolescentes, excluídos, sem famílias e sem amor, necessitando de um lar. De outro, pretendentes buscando realizar o sonho da maternidade/paternidade e na maioria das vezes, preencher um vazio em suas vidas. Adotar uma criança é o caminho. Mas, estamos prontos?

Brincar ao Ar Livre Comments

Libertem as crianças: brincar ao ar livre faz bem para pais e filhos

Papai andava sumido ultimamente. O retorno às atividades profissionais de uma forma, digamos, bem mais intensa, me fez correr de um lado para outro sem tempo para nada. Corre daqui, corre dali e comecei a sentir falta de uma das coisas mais intensas que tenho vivido nestes três anos que exerço a função de papai em tempo integral: brincar com a Luísa.

Comments

Conheça uma garota diferente chamada Ca-ta-ri-na

  A nova queridinha da Luísa é a historia de Catarina. Ou melhor, CA-TA-RI-NA. Uma menina com lindos cabelos, com os quais Luísa rapidamente se identificou (por quê será?) . Uma menina quieta por fora, e cheia de indagações e toda falante por dentro. Resumindo: a garota chama a atenção...

Comments

“Parem de tratar crianças como objeto”, diz promotor sobre ação contra casais que devolveram adotados

O promotor de Vacaria, Luís Augusto Gonçalves Costa, explicou ao Diário do Papai que critério deverá ser utilizado em todos os casos de devolução de crianças. Motivo alegado para desistência foi o excesso de birras e choros do casal de irmãos. “Esperamos que outros promotores sigam essa linha para que parem de tratar crianças como objetos”, disse.